Projeto ‘Mãos à obra Zabelê’ na Bienal de Arquitetura de São Paulo

O Projeto Mãos à Obra Zabelê, que tem a participação da Prof. Júlia de Gouvêa, membra do NEIC, foi elaborado para atender a uma demanda real apresentada pelo Coletivo Levanta Zabelê, formado por uma rede de apoiadores de variadas origens, culturas e áreas do conhecimento para a realização do projeto do espaço do Universo Autônomo Intercultural dos Saberes Útero Amotara Zabelê.

O “Mãos à obra Zabelê” foi selecionado para participar da 13ª Bienal de Arquitetura de São Paulo que ocorrerá de 27 de maio a 17 de julho de 2022. A Bienal é uma das mais importantes mostras de Arquitetura e Urbanismo realizados no Brasil e a exposição do Mãos à obra Zabelê é um reconhecimento da sua importância em termos de proposta e realização exemplares.

O projeto fará parte da Sessão Travessias e estará exposto no Centro Cultural Vergueiro (São Paulo).

O Projeto Mãos à Obra Zabelê foi criado com o objetivo de realizar uma assessoria técnica participativa, integrando saberes acadêmicos e saberes tradicionais, para elaboração de projeto arquitetônico regenerativo para o conjunto das edificações, que incluem aquelas que servirão de ponto de apoio para a população Tupinambá e para pessoas ligadas à comunidade em situação de vulnerabilidade por conta do impacto da COVID-19.

O projeto consiste em uma escola filosófica dos povos originários, cuja primeira sede será em Una-BA (sul do Território Tupinambá) em função de ali ser área essencial em termos simbólicos e de sustentação para a etnia naquela terra ancestral. Ele visa trazer a dimensão pedagógica na interação da comunidade local com a comunidade acadêmica, ao integrar ensino, extensão e pesquisa.

Com metodologia qualitativa, o projeto é baseado na escuta e o método utilizado nas diferentes etapas é a pesquisa-ação. Trata-se, assim, de uma assessoria técnica para elaboração de projeto arquitetônico que tem como princípio proporcionar aprendizados e transformação socioambiental a partir da troca de saberes, tanto para a comunidade local como para a acadêmica.

A etapa preliminar do projeto já foi realizada, o resultado foi avaliado como satisfatório pela comunidade tradicional e acadêmica. O Projeto conta com apoio do edital 001/2021 da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura PROEX- UFSB.

Dirceu apresenta a proposta da Cátedra Paulo Freire na a Rádio FM 104,9 (Teixeira de Freitas)

O prof. Dirceu Benincá, membro do NEIC, falou sobre o tema “Cátedra Paulo Freire na UFSB” no quadro “Universidade e você”, na Rádio Sucesso FM 104.9. Ele contou sobre o movimento para a criação de uma Cátedra Paulo Freire no campus da UFSB sediado em Teixeira de Freitas.

“(Os) Direitos achados nos muros” são tema de palestra na UFSB.

O prof. André de Oliveira, membro do NEIC|ufsb foi convidado para ministrar palestra no I CCIDS – Ciclo de Conferências Interdisciplinares em Direito e Sociedade no dia 29 de setembro de 2020 às 19h00.

“Marcha virtual pela vida”, ativa um manifesto nacional e une a universidade a povos tradicionais.

Foi realizada uma convocação para uma Marcha Virtual pela Vida para o dia 9 de junho de 2020 que marcasse a criação dessa Frente pela Vida. Dezenas de entidades – que representam organizações científicas, profissionais, sindicais, acadêmicas e ONGs – lançaram um Manifesto que conclama a sociedade brasileira a exigir:

urbBA[19] Urbanismos: Ensino, Práticas, Aprendizagem | 6-8/nov/2019

O Seminário Urbanismo na Bahia, urbBA [19] acontece nos dias 06, 07 e 08/novembro na Faculdade de Arquitetura da UFBA. Com o tema URBANISMOS: ENSINO, PRÁTICA, APRENDIZAGEM, o evento se organiza em torno de três questões centrais:

becuSul | Encontro sobre os bens culturais do sul da Bahia: 4-5/nov

O NEIC e o IHAC convidam para o becuSul, que será realizado no Campus Jorge Amado em 4-5/nov.

O projeto becuSUL compreende ações articuladas de pesquisa e extensão tendo por objeto as POLÍTICAS PÚBLICAS DE PRESERVAÇÃO DOS BENS CULTURAIS NO TERRITÓRIO DO LITORAL SUL DA BAHIA: SUJEITOS E GRUPOS SOCIAIS, POTENCIALIDADES E DEMANDAS, e tem por objetivo estreitar as relações entre a Universidade e Sociedade, tendo como contexto socioespacial o Território de Identidade do Litoral Sul da Bahia. Compreende-se como políticas públicas de preservação todas as ações governamentais, representadas pelos três entes federativos, no sentido de seleção, proteção e promoção dos bens culturais, bem como as políticas públicas sociais e comunitárias de preservação, inseridas nos processos de produção e reprodução desses bens culturais.

Programação Continue lendo “becuSul | Encontro sobre os bens culturais do sul da Bahia: 4-5/nov”